Estandarte da PAEL    A Maçonaria      Fale Conosco     Home

Reflexão      

Os 3 Últimos Desejos de Alexandre O Grande

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:
1 - que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2 - que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...); e
3 - que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões e Alexandre explicou:
1 - Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3 - Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos

Alexandre, de cognome o Grande ou Magno (21 de julho de 356 a.C. em Pella–10 de junho
de 323 a.C. em Babilônia), o mais célebre conquistador do mundo antigo, era filho de
Filipe II da Macedónia e de Olímpia do Épiro, mística e ardente adoradora do deus grego Dionísio. Em sua juventude, teve como preceptor o filósofo Aristóteles. Tornou-se rei da Macedônia aos vinte anos, na sequência do assassinato do seu pai.

Reinado 336 a.C. - 323 a.C.
Nascimento 20 de Julho de 356 a.C. - Pella, Macedônia
Morte 10 de Junho de 323 a.C. - Babilônia
Antecessor Filipe II
Sucessor Alexandre IV
Consorte Roxana de Báctria
Filhos Alexandre IV
Pai Filipe II
Mãe Olímpia do Épiro